87

Palavras da Presidência a funcionários(as), amigos(as) e parceiros(as)


A cada balanço de final de ano, inevitavelmente, selecionamos memórias, recordações, e recapitulamos o que vivemos para ver o que deu certo, o que deu errado, o que aprendemos e o que ainda temos de aprender. Em tempos de pandemia, então, essa urgência em rememorar, essa necessidade eminente de voltar a um tempo em que a vida era “normal”, parece ainda mais latente. Mas, agora, olhando para trás, relendo relatórios, revendo reportagens, recapitulando fatos, experiências e emoções, pensamos também o quanto é urgente olharmos para o futuro!

Se o ato de nos lembrarmos dos fatos é importante para aprendermos e planejarmos novas saídas para velhos problemas, de alguma forma esquecermos também é saudável. Um renomado neurocientista, Ivan Izquierdo, conhecido mundialmente por seus estudos sobre a memória, reflete em livro sobre a arte de esquecer. Para ele, cada um de nós é quem é porque tem suas próprias memórias. E aprender a distinguir entre as informações que devemos deixar de lado e as que devemos guardar é uma arte difícil. Mas necessária.

Pensemos. A cada escolha que fazemos abrimos mão de milhares de outras. O que nos leva a acreditar que as perdas são necessárias para nossa mochila ficar mais leve. Esquecer é uma forma de seguir em frente. Mas lembrar do que passou é uma forma de seguir em frente com margem de segurança. A experiência guardada na mochila nos difere no mundo. Afinal, somos o que somos porque temos nossas próprias memórias.

Neste balanço, portanto, queremos manter na memória o que nos transformou, o que nos movimentou e o que nos inspirou. E queremos esquecer o que, por vezes, tirou nossa energia e impactou negativamente nossas experiências. O futuro é incerto? Sim. Mas nesses meses de inúmeros desafios, de incontáveis obstáculos, nós nos tornamos mais fortes e aprendemos que “ser uma unidade” enquanto grupo, enquanto equipe, é bem mais poderoso do que ser e agir com a mentalidade do “cada um”. Então, mesmo diante de incertezas, em equipe, temos energia, força criativa e determinação para seguir adiante.

Em 2021, os esforços de nossos seis mil colaboradores, em seus diferentes cenários e papéis desempenhados, contribuíram significativamente para que a Famesp pudesse seguir cumprindo suas metas e seus propósitos – tanto na gestão em saúde como em suas atuações administrativas e sociais. E por tudo isso registramos nossa imensa gratidão.

De olho em 2022, desejamos que, juntos, possamos seguir lado a lado, sempre em frente, mostrando que vale a pena agir pelo bem e para o bem. Porque é por meio de nossos atos que construímos uma história. E é dessa história que nossos filhos, netos e afetos poderão se orgulhar no presente e no futuro!

Boas festas e um ótimo 2022!

Antonio Rugolo Junior | presidente
Trajano Sardenberg | vice-presidente

______________
CONTEÚDO ASSOCIADO
🎥Veja também audiovisual com imagens das unidades de saúde sob gestão da Famesp 

📲 Site da Famesp: https://www.famesp.org.br/